Cálculo renal – Como podemos preveni-los?


Na linguagem popular, esta doença é denominada de “Pedras nos rins”, e esta denominação se deve principalmente ao fato de que ocorre a formação de verdadeiras pedras, de variáveis tamanhos e componentes muitas vezes distintos entre si. É uma doença que, para o seu aparecimento há o envolvimento de vários fatores, destacando-se dentre eles: fatores genéticos, familiares, individuais, ambientais, metabólicos, anatômicos e infecciosos.

Já há comprovação científica do caráter genético-familiar neste tipo de doença. O fator ambiental diz respeito à influência que exercem a umidade relativa ao ar, a temperatura e a região em que a pessoa more.

O aspecto individual diz respeito à atividade física, à ingestão de líquidos e ao tipo de dieta que o indivíduo está acostumado.

Estima-se que no Brasil a ocorrência deste tipo de doença esteja em torno de 3 a 4% da população em geral, acontecendo mais em algumas regiões que outras. Isto se deve à grande diversidade de costumes, culturas e fatores climáticos.

Uma boa alimentação é de extrema importância para a prevenção da doença. Podemos citar como exemplo, que quando se come muito açúcar ou muito sal há um aumento exagerado na quantidade de cálcio que sai na urina e, o cálcio, é um elemento importante na formação de cálculos renais. Por outro lado, quando a nossa dieta é rica em proteína animal (carnes), ocorre um aumento na saída de ácido úrico na urina e, o ácido úrico, é outro fator formador de cálculos. O fato de se estar exposto ao sol por um longo período de tempo durante o dia é também outro fator que predispõe ao aparecimento de “pedras”.

Aquelas pessoas com vida sedentária, ou seja, que não são adeptas às atividades físicas e, também, profissionais liberais, professores e comerciantes, cujo ritmo de trabalho não requer tanto exercício, estão muito mais sensíveis ao aparecimento de cálculos. Por outro lado, as pessoas que trabalham em ambientes com ar condicionado (baixa umidade relativa do ar) ou aquelas que trabalham em ambientes muito aquecidos (Fornos), também, estão mais sujeitos a desenvolver esse tipo de doença.

A característica clínica desta doença é a chamada “cólica renal” ou “cólica nefrética”, este tipo de sintoma é tão característico que leva o médico ao diagnóstico. Entretanto, é sempre bom que uma rotina diagnóstica seja estabelecida por um profissional especializado.

Tratar sempre as infecções urinárias associadas aos cálculos. As pessoas devem se orientadas para que tomem bastante líquido, em uma quantidade tal que lhes garanta um volume mínimo de dois litros de urina por dia.

É pensamento e conhecimento geral que o aumento da ingestão de líquidos, o seguimento às orientações da dieta, o tratamento das complicações e/ou doenças associadas e o acompanhamento médico, nos casos de cálculos, consegue diminuir o seu aparecimento e prevenir o seu retorno.

Na suspeita de pedra nos rins, procure um urologista.

Agende já sua consulta: 3214-9700

10 visualizações

Rua Deputado Eliseu Teixeira, 488 , Ponta Verde, Maceió, Alagoas. CEP: 57035-240

TRABALHE CONOSCO: curriculo@hospitalvida.com

Tel: 82 3214.9700

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle